terça-feira, 22 de julho de 2014

12 dicas para tornar suas manhãs mais produtivas

Para algumas pessoas, as primeiras horas do dia são as piores para se fazer qualquer coisa. Enquanto que, para outras, é o oposto: elas são as melhores. O fato é que o modo como você passa o período da manhã pode ajudar seu dia a ser mais produtivo e agradável.
Montar hábitos matutinos no seu dia a dia não é necessariamente rápido ou fácil, mas é possível. Leo Babauta, que é criador do blog Zen Habits, autor de cinco livros sobre maneiras de se viver melhor e ainda instrutor para cursos de mudança de vida, dá dicas de como ele próprio atua em todas as suas manhãs.
- A ideia é: se você quer viver melhor e ser mais produtivo, comece a levantar mais cedo;
- Beba água logo em seguida, planeje e atue nas três tarefas mais importantes que você quer colocar em prática neste dia;
- Alimente-se, prepare um lanche nutritivo para si e também para os que vivem com você;
- Leia. Estimule sua mente e relaxe antes de se preparar para o resto do dia;
- Exercite-se. Ande de bicicleta, faça natação ou medite. Faça com que sua vida tenha um equilíbrio entre mente e corpo;
- Por fim, tome um banho para completar a manhã.
Porém, antes de tudo isso, um bom dia começa com uma grande noite de sono, portanto, descanse. Como?
- Vá para a cama na hora certa;
- Evite cafeína ao final do dia;
- Coma pelo menos três ou quatro horas antes de dormir;
- Beba meia xícara de chá de camomila uma hora antes de dormir;
- Faça algum alongamento leve, aproveite e tome um banho quente em seguida;
- Evite o contato com telas de eletrônicos por uma hora antes de dormir.
Fonte: EcoD

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Como encontrar Deus nas pequenas coisas:

-  Observe a natureza, cultive calma e silêncio.

-  Aprenda a dedicar seu tempo as coisas simples, como as crianças. Pise em poças d’água, faça castelos de areia, aprenda a jogar ioiô, pule corda, ande de pés descalço.

-  Quando acordar de manhã dirija seu olhar a lugares inesperados. Observe os desenhos dos veios de madeira em seu quarto, a curva dos lábios do seu namorado ou namorada, os fios de cabelo de um filho, a beleza da comida no prato. E tenha certeza: Deus vai estar lá!"

Principais tipos de Deficiência física

Principais tipos de Deficiência física:

Apenas para efeito de esclarecimento, listamos os tipos mais comuns de deficiência os quais os 
Professores terão contato em sala de aula:

- Paraplegia: quando a criança não tem os movimentos da cintura para baixo
- Tetraplegia: quando a criança não tem os movimentos do pescoço para baixo
- Hemiplegia: quando a criança não tem os movimentos de um dos lados do corpo

É comum que a criança que seja Paraplégica ou Tetraplégica necessite do uso de cadeiras de rodas. Já a 
criança que apresenta Hemiplegia possivelmente fará uso de muletas ou andador.


Terapias: 

A Família estará orientada a providenciar terapias com Fisioterapeuta, Psicomotricista, e no caso de 
Hemiplegia também tratamento com Fonoaudiologia, bem como outras conforme o caso.


Instalações Necessárias:

Para receber crianças e jovens com este perfil, a Escola deverá ter as suas instalações estruturadas de 
modo a propiciar conforto e praticidade de locomoção tais como: rampas e corrimão para apoio. Dispor de um
Funcionário que possa locomover a criança/jovem a lugares que tenham escadas ou sejam de difícil acesso,
de modo que a criança não seja excluída de nenhuma atividade devido às barreiras arquitetônicas.


Trabalho Pedagógico:

O trabalho pedagógico da criança com deficiência física deverá ser adaptado conforme a sua necessidade. 
Caso o impedimento seja nos braços e mãos, há que adaptar as atividades e/ou estratégias. 

Devido a dificuldade de locomoção é preciso observar para que nenhuma criança fique de fora de nenhuma 
atividade. Por isso, se a Biblioteca fica no andar de cima , um funcionário deverá ser designado para fazer o 
deslocamento. 

Como cada caso é um caso, outra alternativa é deslocar os livros que serão utilizados até a Classe, de 
modo que todos possam realizar as atividades sem prejuízo do trabalho a ser desenvolvido. 

Outra questão é quando o aluno com necessidade especial estuda em uma série que não fica no andar 
térreo, o mesmo procedimento deve ser adotado: ou ele sobe, ou a turma desce. 

Considerações Finais:

É preciso ficar claro para o Professor que este aluno tem direito a usufruir de todos os benefícios que a 
Escola oferece, e merece todo zelo no preparo de atividades adaptadas às suas necessidades. Além do mais 
os outros alunos vão aprender muito sobre respeito, solidariedade e superação.


Abraços,

Roseli Brito